Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014

Comemoração dos Direitos Humanos- 10 de Dezembro de 2014

 

Este foi um ano em que as crianças foram as maiores vítimas e que se violaram a maior parte das leis que constituem os direitos humanos.

Não posso aqui enumerar todos eles, mas o que mais me toca é precisamente o primeiro.

Artigo 1.º

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

 

Esta menina encontrei-a à beira da estrada no Uganda e nem o peso do um cacho de bananas  a impediu de nos cumprimentar. Será justo começar tão cedo a trabalhar?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 21:36
link do post | comentar | favorito
|
21 comentários:
De jabeiteslp a 10 de Dezembro de 2014 às 22:50

Não é fácil
dizer seja o que for...

só se regredires 50 anos atrás...



De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 02:11
Não posso regredir, a verdade é que uma realidade que ainda está bem presente neste século.

Beijos João


De Paulo César Silva a 10 de Dezembro de 2014 às 23:14
isto não é justo... acabei de ver um comentário noutro blog sobre um livro "Esteiros" de Soeiro Pereira Gomes, e este foto fez-me lembrar novamente esse livro.
excelente momento!


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 02:13
Nada é por acaso Paulo, as palavras aparecem nos momentos que menos esperamos e têm quase sempre a particularidade de nos marcar, umas vezes pela positiva , outras pela negativa.
Obrigada pelo apreço.

Beijos Paulo


De Rute a 11 de Dezembro de 2014 às 02:28
Não há respeito nenhum pelos direitos humanos e as crianças são as que mais sofrem. O Paulo tem razão e depois a vida é justa? raramente.
A fotografia está um espanto, Manu.

1 beijinho


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 13:05
É o que mais me incomoda e choca...ver crianças exploradas, abusadas e a sofrer com guerras que os adultos provocam.
Dá dó.

Beijinhos Rute


De Remus a 11 de Dezembro de 2014 às 12:42
Por outro lado, temos por cá marmanjos de vinte e tal anos, que nunca trabalharam na vida e que continuam a viver às custas dos pais. E quando lhes pedem para fazer algo, resmungam logo, como fossem reis e senhores. Temos adolescentes que nunca fizeram nada em casa, desde a simples tarefa de arrumar o seu quarto ou até limpar o pó da sala. Temos jovens, que nem cozer ou fritar um ovo sabem. Jovens, que sendo quase adultos, continuam completamente dependentes de terceiros. Será que isso também é futuro?
Será que uma criança de 6 ou mais anos, não pode ajudar em casa e os respectivos pais?
Eu desde pequeno que sempre trabalhei. Tanto em casa, como no campo com os meus pais e restante família. Tinha tempo para tudo. Para estudar, brincar e trabalhar.
Acho que incutir a ideia de trabalho nas crianças é fundamental.

Mas é claro que existe e que tem que ser feita, uma clara distinção entre trabalho adequado para uma criança e o trabalho para um adulto. Assim como, não podemos também admitir o trabalho escravo e a exploração infantil. Isso tudo são actos criminosos.
Essencialmente o que eu penso, é que nós, desde crianças, temos que aprender dar valor a tudo. Temos que aprender e estudar na escola. Temos aprender com as nossas brincadeiras. Assim como também temos que aprender com trabalho.

E desta forma, para variar, hoje deixo um comentário mais sério.


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 13:49
Mesmo a brincar os seus comentários encerram sempre algo de sério.
Subscrevo na íntegra tudo o que escreveu.
Também eu fiz de tudo um pouco e não me sinto diminuída por isso, pelo contrário, fiquei mais forte e preparada para enfrentar qualquer adversidade.
Choca-me contudo ver crianças em países onde há guerra onde tudo lhes é vedado, até o direito de ser "criança" e mais me constrange e indigna ver os tais marmanjos de que fala a viverem à custa dos pais e de subsídios que os nossos governantes fazem o favor de lhes oferecer
Como dizia Einstein:
"A palavra progresso não terá qualquer sentido, enquanto houver crianças infelizes."

Beijos Remus


De Miguel Alexandre Pereira a 11 de Dezembro de 2014 às 16:58
Que fotografia fantástica cheia de mensagem. Está simplesmente mágica! Além disso, ilustrada com uma importante mensagem, infelizmente o mundo está cheio de injustiças...

http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 17:17
Muitas injustiça por esse mundo fora e quando se trata de crianças , fico especialmente comovida.

Beijos Miguel


De lis a 11 de Dezembro de 2014 às 17:20
Foto que emociona Manu por todas as razões e uma delas é exatamente esse adeusinho tímido e acolhedor de quem carrega um fardo maior do que deveria mas tem uma alma leve e linda.
Quanto as leis ,dessas nem quero falar para não perder a magia que emana dessa criaturinha especial.
Belo click


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 20:39
Também me emocionei , Lis, não pelo fardo que carrega, mas pelo facto de ter a simpatia de dizer um adeus tão genuíno.
Não achei por estas terras que os meninos eram violentados porque todo o trabalho era feito com um sorriso e de boa vontade, faz parte da cultura daquele povo, o mesmo não poderei dizer do que se vê por esse mundo fora , onde há fome, guerra e violência. Aqui no nosso Portugal também há dificuldades e crianças a passar mal, mas há quem não faça nada e se acomode à sombra dos pais e dos subsídios, claro que há sempre excepções.
Quando olhei para esta criança, lembrei-me das que vi no seu Brasil que tentavam vender junto dos semáforos o que tinham, mas sempre de carinha simpática, mesmo que não comprássemos nada.

Beijos Lis


De Elisa Fardilha a 11 de Dezembro de 2014 às 18:46
Toda a gente tem direito a uma vida digna. Direito à saúde, à educação, à protecção social, à habitação...etc...etc...

Cada vez mais , estes direitos são violados...

Magnífica foto...um alerta!

Beijinhos.


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 20:43
Penso que é um mal que dificilmente terá fim, haverá sempre injustiças e desigualdades, mas o que mais me comove , são sem dúvida as crianças que não têm culpa e que são vítimas da sociedade onde nasceram.
Esta que aqui coloquei não me pareceu estar em sofrimento pelo facto de levar o cacho de bananas à cabeça, outros carregavam outras coisas , mas sempre com um sorriso, faz parte da cultura deles.
Infelizmente não podemos dizer o mesmo doutras partes do mundo.

Beijos Elisa


De Ana Freire a 11 de Dezembro de 2014 às 19:29
Não será justo com certeza, começar a trabalhar tão cedo... mas certamente não terá uma estrutura social e familiar, que permitisse ser de outra forma...
E se por aí nesse país, as condições climatéricas, até serão favoráveis à prática de determinadas culturas de produtos, em muitos outros países em África, isso não se passará... e associado a questões políticas, climatéricas, culturais e religiosas... temos cenários de puro horror como o Ruanda ou a Somália...

Essa criança provavelmente, até será uma felizarda, se a compararmos com as crianças de outros países africanos... e provavelmente sofrerá de imensas carências... se a compararmos com uma criança europeia...
No fundo... tudo é relativo, por depender de tantos factores... e nunca haverá uma convergência de valores, sobre o que será justo ou aceitável para todos...
E o mundo é mesmo assim... cheio de desigualdades e injustiças... sempre foi, e sempre assim será...
Excelente registo, Manu!
Bjs
Ana


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 20:54
Aparentemente podemos achar que neste caso não é justo, mas atendendo a todos os factores que mencionaste, não fiquei chocada, porque em todos vi um sorriso e faziam o trabalho sem um ar sofredor, sobrando-lhes tempo para a escola, a música e a dança que praticam diariamente.
Conheço a realidade de outros países africanos, além dos que mencionaste lembro-me da Etiópia onde os recém nascidos são abandonados à beira da estrada.
Como dizes e muito bem , nunca haverá convergência e o que é justo e tolerável para nós, não o é para os outros.
Já aqui troquei impressões com o Remus sobre este assunto e ambos fizemos coisas na nossa infância , que a acontecerem hoje vinha logo alguém acusar os nossos paizinhos de exploração infantil. Penso que para tudo há que haver equilíbrio e muito bom senso.
Muito obrigada pelas tuas palavras sempre assertivas.

Beijos Ana


De cristina a 11 de Dezembro de 2014 às 20:53
Belo registro, infelizmente as crianças continuam sofrendo todo tipo de abusos ao invés de viver uma infância feliz.


De Existe um Olhar a 11 de Dezembro de 2014 às 21:02
Felizmente não são todas Cristina, mas por esse mundo fora vai-se assistindo a atrocidades que chocam que violam todo o senso de humanidade de igualdade e justiça que deveria existir, sobretudo quando falamos de crianças.
Como podemos ter um mundo melhor se elas que são o futuro, nunca saberão os valores pelos quais se deveriam reger?
Infelizmente continuaremos a ver e a ouvir nos meios de comunicação social , quer cá dentro ou lá fora, tragédias que nos chocam a todos.
Eu, que adoro crianças, fico profundamente triste quando assisto a toda esta falta de sensibilidade.

Beijos Cristina


De numadeletra a 14 de Dezembro de 2014 às 21:21
Até fiquei comovida com a foto e as palavras.


Comentar post

Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

.Quem me segue

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 227 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
16
18

19
22
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Hoje vou meter água

. Quem sou eu?

. Porta número 8

. O templo dourado

. Caíram desamparadas

. Fui lá...

. Tudo ao contrário

. Há pano para mangas

. Eu quero uma casa no camp...

. A descer

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.favoritos

. O regresso

. A MORTE e as PENAS.

. As cores do tempo

. ...Ah e tal são meras Teo...

. O cheiro da luz

. Um Livro, Uma Imagem

. A verdadeira história de ...

. CARTA À MINHA AMIGA INÊS

.links

.Lista de links

.Quem me visita

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds