Domingo, 2 de Agosto de 2015

Nova aterragem

 Subir, até onde o vento nos leve, pairar no ar, sentir a brisa que nos embala, quais pássaros planando sem destino, é e será sempre o sonho dos que querem ir mais longe.

A tarde trabalhava
sem rumor
no âmbito feliz das suas nuvens,
conjugava
cintilações e frémitos,
rimava
as ténues vibrações
do mundo,
quando vi
o poema organizado nas alturas
reflectir-se aqui,
em ritmos, desenhos, estruturas
duma sintaxe que produz
coisas aéreas como o vento e a luz.


Carlos Oliveira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 00:57
link do post | comentar | favorito
|
30 comentários:
De chica a 2 de Agosto de 2015 às 01:54
Poesia linda e foto muito maravilhosa!" beijos, de volta,chica


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 11:43
Muito obrigada..sempre simpática!


Beijos Chica


De Rui Espirito Santo a 2 de Agosto de 2015 às 12:30
Desde "sempre" a sensação de voar foi uma enorme ambição do ser humano ! Aquela sensação de "liberdade" é muito apelativa ! A tua "legenda está perfeita !
Gostei da foto, claro ! ... local de aterragem algo complicado ! :)) ... Poema bem escolhido !

Um Beijo, Manuela ! :))


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 11:48
Eu sou daquelas que se pudesse andava sempre no ar, como já um dia te disse.
Nesta foto parece que o local é complicado para aterrar, mas não é. Havia um enorme areal em baixo e já é prática corrente irem para ali muitos amantes deste desporto, acredito que a minha foto dê uma ideia errada quanto à segurança do local, mas não.
Para mim foi um prazer ver o céu colorido e desejar um dia fazer o mesmo.
Muito obrigada.

Beijos Rui


De PC Silva a 2 de Agosto de 2015 às 14:57
Parece ter sido uma aterragem forçada... espero que aquela zona não tenha muitos espinhos!!!
momento bem apanhado!


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 11:53
Na verdade dá essa impressão, mas um pouco mais abaixo há uma praia praticamente deserta onde aterram na perfeição.

Beijos Paulo


De jabeiteslp a 2 de Agosto de 2015 às 18:20
Espero que a fricção
não tenha feito estragos...Há há há


Boa imagem Manuela


Xoxo de aqui dos calhaus da Covilhã


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 11:54
Não houve fricção, aterraram na areia fofa
Tudo bem pensado e feito num local seguro.

Beijos aqui do Oeste finalmente com


De Elisa Fardilha a 2 de Agosto de 2015 às 21:33
Adorava ter coragem para fazer parapente. Talvez se fosse mais nova...a idade e a depressão estão a deixar-me sem vida.

Adorei andar de balão , quando fui à Turquia.

A foto está um luxo, com cores e ângulo fabulosos.

Beijinhos.


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:03
Eu já há uns anos andei num ultra-leve e adorei, agora só me falta experimentar andar de parapente, sonho que ainda não perdi. Também andei de balão na Turquia.
Acho que a idade não é factor para deixar de o fazer e acho que nada melhor para combater estados menos bons do que ousar, arriscar e ir.
Muito obrigada.

Beijos Elisa


De Maria Ladeira a 2 de Agosto de 2015 às 23:02
A foto é linda nas suas cores e na escolha do tema!
Gostei do poema! Boa semana amiga!!!


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:06
O sítio era fantástico e havia um enorme areal onde aterravam.
Muito obrigada pelo teu apreço.

Beijos Graça


De Roadrunner a 3 de Agosto de 2015 às 13:29
Um bela imagem, com poema a condizer.

Saudações!


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:07
Muito obrigada!

Saudações esvoaçantes


De Remus a 3 de Agosto de 2015 às 15:16
Não é a mim que me apanham a andar numa coisa destas. Desconfio que se experimentasse, morria de ataque cardíaco.
Eu sou daqueles que prefiro andar com os pés bem assentes na terra. Já a Manu, bem sei que por si, andaria sempre com os pés no ar.


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:09
Se um dia experimentares, não vais querer outra coisa.
Já andei de ultra-leve, de balão , só falta mesmo o parapente e logo que surja uma oportunidade aí vou eu
Acho que se enganaram e em vez de gente devia ter nascido pássaro

Beijos Remus


De lis a 3 de Agosto de 2015 às 20:07
O bacana foi que conseguiu clicar a aterragem que não é fácil costumamos ver no ar o balãozinho solto ao vento.
Admiro a coragem desses malucos.
Um jovem daqui a poucos dias voou com uma roupa com asas apropriadas e caiu na mata _ não resistiu aos ferimentos.
Uma pena que colocam a vida em risco por um prazer passageiro,
A foto é linda Manu mas nao me apetece.. como dizem aí.
beijo


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:14
Aqui tudo é feito com o máximo de segurança e locais apropriados.
Já eu, medo é coisa que não tenho, já andei de balão, de ultra leve e sonho um dia experimentar parapente, até costumo dizer que sou arraçada de pássaro

Muito obrigada pelo seu apreço e partilha.

Beijos Lis


De Ricardo Santos a 3 de Agosto de 2015 às 20:59
Gostei muito da foto e da relação do poema com a mesma !!!


De Existe um Olhar a 4 de Agosto de 2015 às 12:16
Muito obrigada, eu também gostei de ver não só este, mas o céu bem colorido com muitos outros.

Beijos Ricardo


Comentar post

Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

.Quem me segue

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 227 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
16
18

19
22
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Hoje vou meter água

. Quem sou eu?

. Porta número 8

. O templo dourado

. Caíram desamparadas

. Fui lá...

. Tudo ao contrário

. Há pano para mangas

. Eu quero uma casa no camp...

. A descer

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.favoritos

. O regresso

. A MORTE e as PENAS.

. As cores do tempo

. ...Ah e tal são meras Teo...

. O cheiro da luz

. Um Livro, Uma Imagem

. A verdadeira história de ...

. CARTA À MINHA AMIGA INÊS

.links

.Lista de links

.Quem me visita

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds