Terça-feira, 31 de Maio de 2016

Numa noite sem lua

IMG_0867.JPG

Num deserto sem água

Numa noite sem lua

Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (41) | favorito (1)
|
Domingo, 14 de Fevereiro de 2016

Chove. Há silêncio!

IMG_5659.JPG

Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

 

Foto tirada numa noite de chuva em que só um poste de luz iluminava as gotas de água

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 20:36
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
|
Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

A noite das sombras assustadoras

 

 

Para onde irão? O que farão? Sobem sem falar no destino, acho que querem  mesmo é assustar.

Penso que festa não vai faltar, porque hoje é a noite delas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 19:54
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2012

Numa noite


 


 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 12:09
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Terça-feira, 28 de Agosto de 2012

Há quem diga que todas as noites são de sonho

 

 
Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.
No fundo, isto não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.
(William Shakeaspeare)
 
 
 
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Agosto de 2012

Quando a noite está a chegar


 


 

 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 00:30
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Maio de 2012

Era uma noite apressada

 
Era uma noite apressada
depois de um dia tão lento.
Era uma rosa encarnada
aberta nesse momento.
Era uma boca fechada
sob a mordaça de um lenço.
Era afinal quase nada,
e tudo parecia imenso!

Imensa, a casa perdida
no meio do vendaval;
imensa, a linha da vida
no seu desenho mortal;
imensa, na despedida,
a certeza do final.

Era uma haste inclinada
sob o capricho do vento.
Era a minh'alma, dobrada,
dentro do teu pensamento.
Era uma igreja assaltada,
mas que cheirava a incenso.
Era afinal quase nada,
e tudo parecia imenso!

Imensa, a luz proibida
no centro da catedral;
imensa, a voz diluída
além do bem e do mal;
imensa, por toda a vida,
uma descrença total!

David Mourão-Ferreira, in "À Guitarra e à Viola"

 

Óbidos-19 de Maio de 2012

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 23:06
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

Outros olhares na noite

 
O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender ...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...
(Alberto Caeiro)
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 21:25
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Novembro de 2011

Em meus momentos escuros

Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,
Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado
Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração.
 
(Fernando Pessoa)
Óbidos-Novembro de 2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 00:23
link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

Para os amigos

Para os Amigos

De entre todos, apenas vós
tendes direito a ver-me
fracassar. Onde caio
entre a vossa irónica
doçura implacável, convosco
partilho o pão e o espaço
e a rapidez dos olhos
sobre o que fica (sempre)
para dar ou dizer.
E de vós me levanto
e vos levo pesando
e ardendo até onde
me ajudais a ser
melhor ou talvez
menos só.

Vítor Matos e Sá, in 'Companhia Violenta'

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (42) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Setembro de 2011

Quando cai a noite na cidade...

´
(Anabela-música)
Caldas da Rainha
5 de Setembro de 2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 17:27
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Junho de 2011

Só a Lua sabe quem eu sou

 

Mais um dia que acaba
e a cidade parece dormir,
da janela vejo a luz que bate no chao
e penso em te possuir.
Noite após noite, ha ja muito tempo,
saio sem saber para onde vou,
chamo por ti, na sombra das ruas,
mas só a lua sabe quem eu sou.
Lua, lua,
eu quero ver o teu brilhar,
lua, lua, lua,
Eu quero ver o teu sorrir.

Leva-me contigo,
mostra-me onde estas,
é que o pior castigo
é viver assim, sem luz nem paz,
sozinho com o peso do caminho
que se fez para tras...
Lua, eu quero ver o teu brilhar,
no luar, no luar.

Homens de chapéu e cigarros compridos
vagueiam pelas ruas com olhares cheios de nada,
mulheres meio despidas encostadas à parede
fazem-me sinais que finjo nao entender.
Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites.
Os bares estao fechados ja nao ha onde beber,
este silencio escuro nao me deixa adormecer.
Loucas sao as noites.


Nao ha saudade sem regresso, nao ha noites sem
madrugada,
Ouco ao longe as guitarras, nas quais vou partir,
na névoa construo a minha estrada.

Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites.
Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites...

 

(Pedro Abrunhosa)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|
Terça-feira, 3 de Maio de 2011

Quando cai a noite

 

Cai a noite na cidade
Vinda de lugar nenhum
E o dia vai embora
Indo pra lugar algum
Não sentia fome
Não sentia frio
Sentado num canto
De um quarto vazio

Quando a chuva cai
Nas noites mais solitárias
Lembre-se que sempre...

Sombras e pensamentos
De um sonho só esperança
Nas paredes ecoavam
O silêncio e a lembrança


 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
tags:

publicado por Existe um Olhar às 09:30
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

Vou pelo braço da noite...

Ninguém abra a sua porta
para ver que aconteceu:
saímos de braço dado,
a noite escura mais eu.

Ela não sabe o meu rumo,
eu não lhe pergunto o seu:
não posso perder mais nada,
se o que houve já se perdeu.

Vou pelo braço da noite,
levando tudo que é meu:
— a dor que os homens me deram,
e a canção que Deus me deu.

Cecília Meireles, in 'Viagem'
 
Lagoa de Óbidos
Fevereiro de 2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 22:45
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011

Pergunta à noite

Pergunta à noite
Pelos segredos,
Pelos teus medos
(Onde estarão?)
Pela fragrância
Das boas horas...
Pelos amores
Que nascerão.
Pergunta à noite
Por ti, por mim,
Se já viu fim
Numa emoção.
Pergunta a ela
Pela poesia
De todo dia
Sermos paixão!
Ela dirá,
Tenho certeza,
Numa tristeza
De escuridão,
Que neste mundo
Nada é eterno
Se após o inverno
Volta o verão.

(Genildo Mota Antunes)

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 01:02
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

.Quem me segue

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 228 seguidores

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12

14
16
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Numa noite sem lua

. Chove. Há silêncio!

. A noite das sombras assus...

. Numa noite

. Há quem diga que todas as...

. Quando a noite está a che...

. Era uma noite apressada

. Outros olhares na noite

. Em meus momentos escuros

. Para os amigos

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.favoritos

. O regresso

. A MORTE e as PENAS.

. As cores do tempo

. ...Ah e tal são meras Teo...

. O cheiro da luz

. Um Livro, Uma Imagem

. A verdadeira história de ...

. CARTA À MINHA AMIGA INÊS

.links

.Lista de links

.Quem me visita

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds