Domingo, 30 de Março de 2014

Cantou e encantou!


A primeira vez que ouvi  Pedro Abrunhosa ao vivo foi no Crato. Fiquei fascinada com a presença dele no palco, na forma como inter-age com o público, como se entrega, como coloca uma plateia ao rubro.

Desta vez e sem esperar porque não comprei o bilhete a tempo, valeu-me a desistência de uma amiga que me cedeu o dela e pude vê-lo na minha cidade.

A mesma energia, uma presença forte, em que o público passa a ser a vedeta e em que ele se mistura com a plateia, em que chama ao palco crianças e adolescentes, em que toda a gente canta as canções que já sabem de cor.

Deixo uma das últimas canções que cantou e que dada a conjunctura actual em que os jovens são obrigados a emigrar, me toca especialmente.

PARA OS BRAÇOS DA MINHA MÃE





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Agosto de 2012

Quando a noite está a chegar


 


 

 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 00:30
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Junho de 2012

Pode o céu ser tão longe?

 
 
 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 17:15
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Maio de 2012

A ponte de todos

 
 
 
Que nunca caiam as pontes entre nós
 
Ponte de Todos-Natal-Brasil
 
 
 
 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 12:16
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|
Domingo, 6 de Maio de 2012

Pode o céu ser tão longe?

 
 
 

Vesti a luz do teu nome
E chamei-te pela noite,
Entraste no meu sono
Como o luar entra na fonte.
Trazes estórias e proezas
Dizes que tens tanto pr'a me dar,
Deixas sombras, incertezas,
E partes sem nunca me levar.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância,
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe,
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe,
Se a tua voz vive em mim.Há um deserto que fica,
Sou um capitão sem barco,
E quando vens pela bruma
Acendem-se estrelas no quarto.
E dizes:
"Trago a luz das sereias,
Trago o canto da tempestade".
E como o vento na areia
Deitas-te em mim feita metade.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo


É tão longe,
Tão longe
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe
Se a tua voz vive em mim.

 

Foz do Arelho-5 de Maio de 2012

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 20:16
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito
|
Sábado, 28 de Janeiro de 2012

Deixas em mim tanto de ti

 
 

A noite não tem braços
Que te impeçam de partir,
Nas sombras do meu quarto
Há mil sonhos por cumprir.

Não sei quanto tempo fomos,
Nem sei se te trago em mim,
Sei do vento onde te invento, assim.
Não sei se luz da manhã,
Nem sei o que resta em nós,
Sei das ruas que corremos sós,
Porque tu,

Deixas em mim
Tanto de ti,
Matam-me os dias,
As mãos vazias de ti.

A estrada ainda longa,
Cem quilómetros de chão,
Quando a espera não tem fim,
Há distâncias sem perdão.

Não sei quanto tempo fomos,
Nem sei se te trago em mim,
Sei do vento onde te invento, assim.
Nao sei se luz da manhã,
Nem sei o que resta em nós,
Sei das ruas que corremos sós,
Porque tu,

Deixas em mim
Tanto de ti,
Matam-me os dias,
As mãos vazias de ti.

Navegas escondida,
Perdes nas mãos o meu corpo,
Beijas-me um sopro de vida,
Como um barco abraça o porto.

Porque tu,
Deixas em mim
Tanto de ti.

 

(Pedro Abrunhosa)

 

Pôr do Sol na Foz do Arelho

27 de Janeiro de 2012

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 00:31
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito
|
Terça-feira, 11 de Outubro de 2011

Que nunca caiam as pontes entre nós

 
 
 
 
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 08:30
link do post | comentar | ver comentários (33) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Setembro de 2011

Ilumina-me

 
 
Gosto de ti como quem gosta do sábado,
Gosto de ti como quem abraça o fogo,
Gosto de ti como quem vence o espaço,
Como quem abre o regaço,
Como quem salta o vazio,
Um barco aporta no rio,
Um homem morre no esforço,
Sete colinas no dorso
E uma cidade p'ra mim.

Gosto de ti como quem mata o degredo,
Gosto de ti como quem finta o futuro,
Gosto de ti como quem diz não ter medo,
Como quem mente em segredo,
Como quem baila na estrada,
Vestido feito de nada,
As mãos fartas do corpo,
Um beijo louco no porto
E uma cidade p'ra ti.

Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.
Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.

Gosto de ti como uma estrela no dia,
Gosto de ti quando uma nuvem começa,
Gosto de ti quando o teu corpo pedia,
Quando nas mãos me ardia,
Como silêncio na guerra,
Beijos de luz e de terra,
E num passado imperfeito,
Um fogo farto no peito
E um mundo longe de nós.

Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.
Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me
 
Pedro Abrunhosa- música aqui
 
Sesimbra-Setembro de 2011
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 08:30
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Agosto de 2011

Viagens que se perdem no tempo

 

 

Já vai alta a noite, vejo o negro do céu,
deitado na areia, o teu corpo e o meu.
Viajo com as mãos por entre as montanhas e os rios,
e sinto nos meus lábios os teus doces e frios.

E voas sobre o mar, com as asas que eu te dou,
e dizes-me a cantar: "É assim que eu sou".
Olhar para ti e ver o que eu vejo,
olhar-te nos olhos com olhares de desejo.
Olhar para ti e ver o que eu vejo,
olhar-te nos olhos com olhares de desejo.
Eu não tenho nada mais p'ra te dar,
esta vida sao dois dias,
e um é para acordar,
das historias de encantar,
das historias de encantar.

Viagens que se perdem no tempo,
viagens sem princípio nem fim,
beijos entregues ao vento,
e amor em mares de cetim.
Gestos que riscam o ar,
e olhares que trazem solidão,
pedras e praias e o céu a bailar,
e os corpos que fogem do chão.

Pedro Abrunhosa, in Viagens-canção

Praia de Odeceixe

2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|
Sábado, 2 de Julho de 2011

Que não hajam pontes entre nós

Que nunca caiam as pontes entres nós

Música Aqui

 

Ponte de pedra sobre o rio Tâmega

Junho de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 02:18
link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Junho de 2011

Pode o céu ser tão longe

Não virei as fotos ao contrário, é apenas o reflexo dos moinhos no tejadilho do meu carro.

 

 

Vesti a luz do teu nome
E chamei-te pela noite,
Entraste no meu sono
Como o luar entra na fonte.
Trazes estórias e proezas
Dizes que tens tanto pr'a me dar,
Deixas sombras, incertezas,
E partes sem nunca me levar.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância,
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe,
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe,

Música de Pedro Abrunhosa aqui

 

Ao longe a Serra da Lousã

20 de Junho de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 21:28
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Junho de 2011

Só a Lua sabe quem eu sou

 

Mais um dia que acaba
e a cidade parece dormir,
da janela vejo a luz que bate no chao
e penso em te possuir.
Noite após noite, ha ja muito tempo,
saio sem saber para onde vou,
chamo por ti, na sombra das ruas,
mas só a lua sabe quem eu sou.
Lua, lua,
eu quero ver o teu brilhar,
lua, lua, lua,
Eu quero ver o teu sorrir.

Leva-me contigo,
mostra-me onde estas,
é que o pior castigo
é viver assim, sem luz nem paz,
sozinho com o peso do caminho
que se fez para tras...
Lua, eu quero ver o teu brilhar,
no luar, no luar.

Homens de chapéu e cigarros compridos
vagueiam pelas ruas com olhares cheios de nada,
mulheres meio despidas encostadas à parede
fazem-me sinais que finjo nao entender.
Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites.
Os bares estao fechados ja nao ha onde beber,
este silencio escuro nao me deixa adormecer.
Loucas sao as noites.


Nao ha saudade sem regresso, nao ha noites sem
madrugada,
Ouco ao longe as guitarras, nas quais vou partir,
na névoa construo a minha estrada.

Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites.
Loucas sao as noites, que passo sem dormir,
loucas sao as noites...

 

(Pedro Abrunhosa)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

publicado por Existe um Olhar às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|
Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

.Quem me segue

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 226 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Cantou e encantou!

. Quando a noite está a che...

. Pode o céu ser tão longe?

. A ponte de todos

. Pode o céu ser tão longe?

. Deixas em mim tanto de ti

. Que nunca caiam as pontes...

. Ilumina-me

. Viagens que se perdem no ...

. Que não hajam pontes entr...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.favoritos

. O regresso

. A MORTE e as PENAS.

. As cores do tempo

. ...Ah e tal são meras Teo...

. O cheiro da luz

. Um Livro, Uma Imagem

. A verdadeira história de ...

. CARTA À MINHA AMIGA INÊS

.links

.Lista de links

.Quem me visita

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds