Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

Uma questão de fé

28.08.18, Existe um Olhar
   Poucos barcos de pesca se vêem sem uma figura que lhes inspire fé e os faça acreditar que estarão sempre protegidos. Pensam sempre regressar a bom porto sãos e salvos e se possível, com uma boa quantidade de peixe. Benditas sejam todas as palavras ditas em silêncio. Porque não há força maior que a fé, nem voz mais alta que a oração.

Juntos no mesmo cais

20.07.17, Existe um Olhar
  Um dia encontraram-se no mesmo cais e julgaram ter encontrado um destino que lhes era comum, mas os ventos e as marés separaram-nos e talvez nunca mais se voltem a ver. Ficou o momento que ilusoriamente julgaram seria eterno.

Arrisque

25.05.17, Existe um Olhar
    “Arrisque-se! Toda a vida é um risco. O homem que vai mais longe é geralmente aquele que está disposto a fazer e a ousar. O barco da segurança nunca vai muito além da margem." Dale Carnegie  

Na calma do cais

04.09.12, Existe um Olhar
 Ténue é o cais no Inverno frio. Ténue é o voo do pássaro cinzento. Ténue é o sono que adormece o navio. No vago cais do balouço da bruma ténue é a estrela que um peixe morde. Ténue é o porto nos olhos do casario. Mas o que em fora nos dilui faz-nos exactos por dentro. Fernando Namora, in 'Marketing'  Vila Velha de Rodão Agosto de 2012    

9,8,7,6,5,...3,2,1 o 4 já partiu

26.08.11, Existe um Olhar
 A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa, Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo. Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali... Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!(Mário Quintana) Parque D. Carlos ICaldas da RainhaAgosto de 2011

Paira à tona da água

30.05.11, Existe um Olhar
      Paira à tona de água Uma vibração, Há uma vaga mágoa No meu coração.Não é porque a brisa Ou o que quer que seja Faça esta indecisa Vibração que adeja, Nem é porque eu sinta Uma dor qualquer. Minha alma é indistinta Não sabe o que quer. É uma dor serena, Sofre porque vê. Tenho tanta pena! Soubesse eu de quê!... (Fernando Pessoa) Lagoa de ÓbidosMaio de 2011
Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

Quem me segue