Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

O meu olhar desfocado

15.02.14, Existe um Olhar
Estou cansada de ver as coisas como elas sãoinvento novos olharesindiferente ao que deve ser.Por vezes o meu olhar teimaSeguir o coraçãoe esse..está desfocadoPenso que é assim, ou talvez nãoseja o que forquero emoção , quero fugaConstruir o meu mundo Viver!

Quando uma flor se abre...

02.05.12, Existe um Olhar
Quando uma flor se abre, nunca é apenas uma flor  ela ativa um processo; então, flores continuam a  abrir-se. A primeira flor pode ser difícil, mas as outras simplesmente virão. A primeira experiência é difícil, porque você não a permite. Uma vez que a permitiu, então não é só uma flor que se abre  mil e uma flores se vão abrir...   Kabir   

Porque amo a natureza

01.05.12, Existe um Olhar
   "Eu não tenho filosofia, tenho sentidos... Se falo na natureza não é porque saiba o que ela é, mas porque a amo, e amo-a por isso, Porque quem ama nunca sabe o que ama. Nem sabe porque ama, nem o que é amar... Amar é a eterna inocência E a única inocência é não pensar." Alberto Caeiro Parque Rainha D. LeonorCaldas da Rainha   

Espelho de água

24.01.12, Existe um Olhar
   Espelho de água-Paulo Gonzo  Olhos bem abertos, percorro a paisagem E guardo o que vejo, para sempre, uma clara imagem Um manto imenso de água, um pingo move o mundo, Corrente forte exacta, de um azul quase profundo, Um sopro de ar, faz girar, o mundo melhor, Raio de sol, luz maior, para partilhar, O espelho nunca mente, fiel como ninguém, Faz da vida, paixão energia, que toca sempre mais alguém, Refrão Vai, espelho de água, trata e guarda, o que é nosso afinal, Em nós, (...)

Imagens que passais pela retina

18.01.12, Existe um Olhar
   Imagens que passais pela retina Dos meus olhos, porque não vos fixais? Que passais como a água cristalina Por uma fonte para nunca mais!... Ou para o lago escuro onde termina Vosso curso, silente de juncais, E o vago medo angustioso domina, _ Porque ides sem mim, não me levais? Sem vós o que são os meus olhos abertos? _ O espelho inútil, meus olhos pagãos! Aridez de sucessivos desertos... Fica sequer, sombra das minhas mãos, Flexão casual de meus dedos incertos, _ Estranha s (...)

E tudo o vento levou

13.02.11, Existe um Olhar
   Como um vento na floresta. Minha emoção não tem fim. Nada sou, nada me resta. Não sei quem sou para mim.E como entre os arvoredos Há grandes sons de folhagem, Também agito segredos  No fundo da minha imagem. E o grande ruído do vento Que as folhas cobrem de som Despe-me do pensamento : Sou ninguém, temo ser bom. (Fernando Pessoa)Parque Rainha D. Leonor-Caldas da RainhaFevereiro de 2011
Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

Quem me segue