Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

Existe um Olhar

Não te preocupes com os que não te conhecem, mas esforça-te por seres digno de ser conhecido. (Confúcio)

Fala-se dos "sem abrigo"

05.01.19, Existe um Olhar
É com tristeza que ouço e vejo a preocupação de algumas pessoas que estão à frente dos destinos do nosso país, falar sobre aqueles que não têm casa, que dormem ao relento, que estão sujeitos à caridade alheia e de alguns grupos que dedicam parte das suas vidas a distribuir alimentos e agasalhos a pessoas a quem a sorte foi madrastra. Escrevi no início a palavra "tristeza", porque dói saber que só agora, que se avizinham noites frias, é que se pensa neles...e durante o resto (...)

Solidão

19.03.17, Existe um Olhar
 Vagueia pela rua, cabeça baixa, fuma o cigarro, indiferente a tudo e a todos, sente-se só, apesar de estar rodeado de gente. Infelizmente na sociedade, cada vez mais a solidão é uma realidade assustadora, sobretudo quando se trata de pessoas mais velhas. Muitos têm família, já foram pais, têm filhos e netos, mas são um fardo e deixaram de ser úteis para aqueles que toda a vida ajudaram.   "Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com (...)

M, L & XXL

17.01.16, Existe um Olhar
 O problema não está em sermos diferentes. Está em que, quando falamos de diferença, de diferentes, estamos involuntariamente a introduzir um outro conceito, o conceito de superior e de inferior. É aí que as coisas se complicam. José Saramago  

Fragilidades

10.04.15, Existe um Olhar
   E me perguntei a que me referia com coisas frágeis. Parecia um belo título para um livro de contos. Afinal, existem tantas coisas frágeis. Pessoas se despedaçam tão facilmente, sonhos e corações também. Neil Gaiman    

Tira-me uma foto?

04.04.13, Existe um Olhar
“Treine seus olhos para capturar a história que seu cérebro quer contar.”  Vered KoshlanoE esta foto tem uma história:Andava à beira Tejo de máquina sempre prontinha a disparar, quando dois casalinhos de namorados, vagueavam bem dispostos por ali.Simpáticos, bem dispostos, aos beijos, rindo, dizendo graçolas e a certa altura , já não sabia se era eu que os andava a seguir se eles a mim, até que de repente uma delas pergunta-me:-Tira-nos uma foto?- Uma? só? eu tiro todas as (...)
Direitos de Autor Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março. Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. manuelapereira3@sapo.pt

Quem me segue